Pão e Poesia por Vera Barbosa - UOL Blog
Maria Bethânia, num retrato de família

O Estado de S. Paulo - Por Luiz Carlos Merten

No Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade que vai chegando ao fim - a premiação ocorre amanhã à noite, mas a programação vai até domingo -, já houve um filme fundado sobre lembranças de uma casa vazia. A casa era do banqueiro Walter Moreira Salles, na Gávea, filmada por seu filho João e filtrada pelo olhar do mordomo.

Santiago pode não concorrer a prêmios, mas é um dos filmes mais importantes da edição deste ano (o mais?), aquele que poderá marcar a história do documentário brasileiro. Há agora uma outra casa, de um outro clã. A de dona Canô, em Santo Amaro da Purificação, onde Maria Bethânia comemora seus 60 anos (e 20 de carreira).

Maria Bethânia é o título do documentário e a artista é certamente sua atração principal, mas a verdade é que divide a cena com o irmão, Caetano Veloso, e a mãe, dona Canô. Andrucha Waddington fez um filme sobre uma família brasileira, uma família especial, certo, mas o tom é de intimidade e, mais que isso, casualidade.

Dona Canô e os filhos sentam-se naquela varanda e cantam. Não se diz muita coisa. Tudo o que importa vem dos olhares, dos gestos, das manifestações de carinho e das músicas. 'Música boa é música antiga', dona Canô diz e está falado. O filho, a seu lado, ri.

Andrucha já havia conversado com Bethânia, que lhe disse que gostaria que ele fizesse um registro de sua festa de aniversário. Só que foi tudo decidido muito em cima da hora. Na véspera, Maria Bethânia fez, à noite, um show em Salvador. Pela manhã, no Rio, Andrucha recebeu um telefonema da produtora de Bethânia, que detém os direitos de seu selo, a Quitanda.

Atendendo à encomenda da cantora, ele poderia fazer o registro do espetáculo daquela noite? E poderia, no dia seguinte, ir a Santo Amaro, onde haveria uma missa e, à noite, uma festa não apenas da família, mas de amigos e da comunidade? Andrucha mal teve tempo de reunir uma equipe e embarcar.

Chegou ao camarim e combinou - não queria fazer um documentário com perguntas. Queria que Bethânia o levasse, para onde quisesse.

Curso sobre choro aceita inscrições

O Estado de S. Paulo - Por Redação

Estão abertas inscrições para o curso História da Canção Brasileira: O Nascimento do Choro, que ocorrerá nas terças-feiras de abril, com o professor André Domingues. O módulo inicial vai abordar o nascimento do choro, o primeiro produto de excelência da MPB.

Serão estudadas as suas origens e as da própria música popular no Brasil, assim como alguns dos seus nomes mais importantes. Modinha, lundu, polca, maxixe e muitas outras manifestações musicais da época também estarão em foco nessa etapa. São 50 vagas e o curso ocorre na casa das Rosas, na Avenida Paulista, 37.

Informações pelo telefone (11) 3265-6986.

"Jorges" se reúnem para show em Copacabana

Por Jornal O Dia - Pedro Landim

São Mautner foi aplaudido por todos em sua fala sobre o santo de nome Jorge, com passagens da história do Cristianismo e dos Cavaleiros Templários, mas foi São Ben Jor que trouxe o cavaleiro e sua lança para perto de Copacabana: "São Jorge é guerreiro, machão e galã. Totalmente brasileiro", definiu.

E a disposição da turma ficou clara quando Jorge Aragão batucou na lixeira e Jorge Vercilo tocou no violão música inédita que fez para o "santo-xará".  No dia 23 de abril, seis músicos de nome Jorge cantarão juntos na Praia de Copacabana, e o show Coisa de Jorge vai virar DVD, incluindo um documentário sobre a adoração brasileira a São Jorge.

Ausentes na entrevista coletiva, Jorge du Peixe, da Nação Zumbi, e Seu Jorge, completam o time. O segundo, que deixou de freqüentar o Rio faz tempo, ficou de aparecer. "Há uma admiração mútua entre nós, mesmo com carreiras muitas vezes antagônicas. Essa diferença é o barato", opinou Vercilo.

E Aragão completou: "É coisa de Deus mesmo, independente da religiosidade de cada um. Vamos tocar juntos, sem sair do palco. O clima é tão bom que ninguém falou de cachê", disse.

Tom Zé canta músicas de São Paulo no Ibirapuera

Sucesso! - Por Thomaz Rafael

O cantor e compositor Tom Zé apresentará nesta semana o espetáculo inédito "São Parking Ibirapuera". Os shows acontecem no Auditório Ibirapuera, na capital paulista, na sexta (dia 23) e no sábado (dia 24).

O repertório traz canções inspiradas em São Paulo, tais como "Interlagos Fórmula 1" (Tom Zé e Paulo Lepetit), "A Briga do edifício Itália com o Hilton Hotel" (Tom Zé), "Correio da Estação do Brás" (Tom Zé), "2001" (Tom Zé e Rita Lee) e "São Paulo reza no rock" (Tom Zé e Pedro Brás).

Cacau Brasil e Alceu Valença em quatro unidades do Sesc

Sucesso! - Por Thomaz Rafael

A irreverência da cultura pernambucana e a musicalidade nordestina com uma pitada de influência mineira poderão ser conferidas na pequena temporada de shows que Alceu Valença e Cacau Brasil realizarão nesta semana, no estado de São Paulo.

As apresentações acontecerão em quatro unidades do Sesc, de 22 a 25 de março (quinta a domingo): Araraquara (dia 22), São José do Rio Preto (dia 23), Santo André (dia 24) e Sesc Interlagos, na capital (dia 25).

A ligação entre os dois artistas teve início em 2005, quando Cacau Brasil gravou uma composição de Alceu Valença, "Espelho Cristalino", em seu segundo CD.  No ano seguinte, os artistas dividiram o palco do Circo Voador, no Rio de Janeiro.

Ainda em 2006, Cacau se apresentou com Alceu e Moraes Moreira noa Carnavais de Fortaleza e Olinda.

Céu tem CD lançado pela Starbucks Entertainment
Sucesso! - Por Thomaz Rafael

A cantora Céu está lançando seu disco de estréia nos Estados Unidos, numa parceria da Six Degrees Records com a Starbucks Entertainment. A brasileira é a primeira artista internacional a ser lançada pela série "Starbucks Hear Music Debut", coleção que vem impulsionando a carreira de novos artistas norte-americanos.

Para divulgar o lançamento, a cantora se apresentará no Independent, em São Francisco, no dia 13 de abril; e no Temple Bar, em Santa Monica, também na Califórnia, no dia 14 de abril.
24º Festival de Música de Alegre

Por Portal Gazeta On Line - Vitor Ferri

24º Festival de Música de Alegre acontece de 06 a 09 de junho; ingressos já estão à venda

O mais famoso festival de música do Espírito Santo chega a sua 24º edição. Esse ano, o Festival de Música de Alegre acontece entre os dias 06 e 09 de junho e promete misturar os mais variados ritmos para atrair todos os públicos.

Entre as 14 atrações nacionais e 1 internacional já confirmadas para o evento tem de tudo: reggae com Armandinho; sertanejo pop com César Menotti e Fabiano; pop com Skank e Capital Inicial; MPB com Vanessa da Mata; pop rock com O Rappa; rap com Marcelo D2; pagode com Jeito Moleque; muito axé com Banda Eva, Asa de Águia, Ivete Sangalo e Jammil; além da estrela da música black internacional Lauryn Hill.

O site do festival já está no ar (www.gazetaonline.com.br/festivaldealegre). Lá o internauta poderá encontrar informações adicionais como em quais hotéis se hospedar, opções de diversão durante os dias do festival, preços dos ingressos e locais dos shows principais e das atrações do Rock da Tarde e Tarde Folia. Além disso tudo, dá para o internauta folião deixar um recadinho sobre as edições anteriores.

O Rock da Tarde, por exemplo, oferece uma opção diferenciada para os foliões. O principal objetivo da festa é valorizar a cultura do Espírito Santo, por meio de atrações locais e regionais. O Palco Livre, como nas edições anteriroes, será montado nas vias da cidade e lá acontecerão apresentações de cerca de 9 atrações regionais entre os dias 07 e 09 de junho.

Já o Tarde Folia é uma micareta indoor que acontece na tarde do último dia do Festival, ou seja, no dia 09. A festa começa às 12 horas no Estádio do Rio Branco. Como chegar? Localizada a 196 Km da capital do Estado, Alegre está situada no entorno do Parque Nacional do Caparaó, onde se encontra o Pico da Bandeira.

Para chegar até a cidade, partindo de Vitória, basta pegar a Rodovia BR-101 Sul até a entrada para Cachoeiro de Itapemirim, e seguir em direção a Alegre pela BR 482. Para os foliões cariocas, há duas opções: BR 185, passando por Bom Jesus do Norte e Guaçuí, entrando na BR 482 e seguindo para Alegre; ou BR 101, também entrando na BR 482, mas em Cachoeiro de Itapemirim.

O mineiros quem vêm de Belo Horizonte, basta pegar a BR 262 até Iúna, desce para Guaçuí pela rodovia estadual e pega a BR 482 para Alegre. Todos os caminhos levam ao festival. Universitária.

O maior evento musical do Espírito Santo, o Festival de Alegre nasceu como uma festa universitária no início da década de 80, com o objetivo de divulgar a Música Popular e revelar novos nomes para o cenário nacional, tanto de compositores como de intérpretes. Com o passar dos anos, o evento foi se popularizando e ganhando fama nacional.

Grupo Cambada Mineira invade Vitória

Por Rob Digital - Assessoria de Imprensa

No próximo dia 16 de março, a capital capixaba será tomada pela voz, o som e a cultura de Minas Gerais. O responsável pela invasão será o grupo musical Cambada Mineira, que apresentará ao público seu mais recente trabalho, o disco Meu Recado (lançado em 2006 pela Rob Digital), no Teatro Carlos Gomes de Vitória, às 21h.

Formado por Amarildo Silva (voz, violão), João Francisco Neves (voz, violão) e Flavia Ventura (voz, piano, acordeon), o Cambada mostrará composições próprias e releituras de clássicos do Clube da Esquina.

A viagem pelo folclore mineiro será conduzida por “Canção da América”, imortalizada na voz de Milton Nascimento (que a compôs com Fernando Brandt); “Clube da Esquina II”, para a qual foram propostos novos arranjos e linhas melódicas; “São João Del Rey”, de Flavia Ventura; e “Jequitinhonha”, de Amarildo Silva e Paulo Peres, entre tantas outras músicas que homenageiam as tradições dos povos das montanhas.

Mais informações: www.robdigital.com.br.

Adoniran Barbosa conta e canta São Paulo

Por Magnólia Villa Bar - Assessoria de Imprensa


O musical “Adoniran Barbosa, conta e canta São Paulo!” segue temporada, até 31 de março, sempre aos sábados, às 22 h, no Magnólia Villa Bar. Com concepção, direção e interpretação de Ayrton Salvanini, o espetáculo mostra a força e a beleza da poesia e da música de um dos mais importantes nomes da música popular brasileira.

Os maiores sucessos de Adoniran Barbosa como “Trem das Onze”, “Saudosa Maloca”, “Piove”, entre outros, estão alinhavados pelo texto do próprio cantor e compositor. Com a palavra como veículo, a voz como instrumento e alguns adereços e figurinos, Salvanini e três músicos apresentam a vida e a obra desse grande artista que foi considerado o Charles Chaplin brasileiro: sua infância pobre, sua juventude, amores e desamores, como iniciou na música e nunca mais parou.

O texto é uma compilação de matérias publicadas pela imprensa, portanto, com palavras do próprio Adoniran, respeitando-se os erros de português que o tornaram típico e único. Segundo ele, “errar também é uma arte, é difícil errar certo, sabia? Que erro tem no Trem das Onze, que erro tem no Samba do Arnesto, e olha que eu sou o único compositor que cria polêmica nas escolas, que as professoras ficam discutindo que é assim que se fala mas não é assim que se escreve. Pode vir vinte Mobral, todos continuarão a falar errado. O povo fala ansim.”, disse Adoniran numa entrevista.

“Adoniran Barbosa conta e canta São Paulo” percorreu, em 2006, 21 CÉUS (da Prefeitura de São Paulo) e tem uma média de 600 apresentações entre escolas, teatros e bares de São Paulo e interior paulista.

Serviço:
“Adoniran Barbosa conta e canta São Paulo”
Estreou: sábado, 03 de março. Horário: 22 horas. Tempo: 90 minutos. Onde: Magnólia Villa Bar. Endereço: Rua Marco Aurélio, 884 – Vila Romana - São Paulo - SP. Telefone para reservas: (11) 3863-9296.  Preço: R$15,00.  Temporada: até 31 de março, sempre aos sábados.

Exposição do MIS em SP traz união entre jazz e design

Folha Online - Por Redação

A partir da próxima quarta-feira (14), o MIS (Museu da Imagem e do Som) apresenta a exposição "Jazz + MIS". A mostra traz cartazes do designer gráfico Rico Lins para a Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo.

Rico Lins empresta seu talento para dar uma "cara nova" à Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, ao produzir logos, cartazes e assinaturas para a orquestra. O designer utiliza processos rudimentares (feitos à mão) e recursos "high-tech" para encontrar a melhor forma de representar a Jazz Sinfônica em duas dimensões.

Entre os trabalhos de Rico Lins configuram ilustrações para revistas ("Newsweek", "Time" e "The New Yorker"), CDs e gravadoras (Sony, CBS e para a banda irlandesa Black Fourty Seven) além de jornais ("The Washington Post", "The New York Times" e "The Boston Globe"). À frente da orquestra Jazz Sinfônica, desde a sua criação, como compositor residente, está o maestro Cyro Pereira, um dos grandes músicos brasileiros da atualidade.

A Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo é ligada ao Centro de Estudos Musicais Tom Jobim, da Secretaria de Estado da Cultura.

Serviço:
"Exposição Jazz + MIS" Onde: MIS - Museu da Imagem e do Som (av. Europa, 158. São Paulo. Tel (0/XX/11/3062-9197) Quando: abertura: quarta-feira (14), às 20h. Temporada: de 15/3 a 8/4, de terça a domingo, das 10h às 18h. Quanto: R$ 3. Abertura e aos sábados: entrada franca.

A música brasileira no exterior

Por Assessoria da RTV Cultura


O programa Acervo Walter Silva apresenta gravações recentes de músicas brasileiras feitas na América do Sul, Europa e Estados Unidos. Trata-se de material praticamente inédito, desconhecido do brasileiro, sendo que boa parte não foi lançada comercialmente.

Um exemplo é a gravação do grupo Sonora Brasilis. Formado por músicos brasileiros e franceses, se apresentou em 2005 no Festival Internacional Les Carrelis, tocando Edu Lobo, Chico Buarque e Egberto Gismonti. Walter Silva mostra a desenvoltura de um conjunto norte-americano aficionado por música brasileira: Bill Dee's Bossa Nova Quartet. O grupo registrou em CD temas de Tom Jobim, Caetano Veloso e Nelson Cavaquinho.

Outras duas raridades desta edição do Acervo Walter Silva vêm do Chile. Uma delas é a cantora chilena Cecília Echenique, que gravou o álbum "Brasil Amado". A outra é uma gravação de "Corcovado" (Tom Jobim) do grupo Octavo, par formado por médicos da cidade de Antofogasta.

Serviço:
Programa Acervo Walter Silva – Sábado (24/03), às 14h. Rádio Cultura AM de São Paulo (1200 KHz). Reapresentação: segunda-feira (26/03), às 18h. Apresentação: Walter Silva. Acesse o site da emissora: www.radiocultura.am.br.

Edith Veiga canta Dalva de Oliveira, no Crowne Plaza

Por Verbena Comunicação


O palco do Teatro Crowne Plaza recebe - às terças-feiras de março - o show Edith Veiga Canta a Estrela Dalva, no qual a artista faz uma homenagem a Dalva de Oliveira. Acompanhada por sua banda, Edith Veiga se apresenta nos dias 13, 20 e 27 de março, sempre às 21 horas. A direção geral é assinada pelo diretor teatral Roberto Nogueira, que dirigiu a cantora no show Duelo de Amor, e os arranjos são do maestro Rosthand Mohamed.

A idéia que há anos acompanha Edith, ganha forma em um espetáculo musical onde a história de Dalva de Oliveira (1917-1972) é contada por meio dos maiores sucessos de sua carreira. O roteiro do show não deixa de fora músicas como “Ave Maria do Morro” e “Segredo” (Herivelto Martins), “Que Será” (Marino Pinto e Mário Rossi), “Kalú” (Humberto Teixeira), “Máscara Negra” (Zé Kéti), “Estrela do Mar” (Marino Pinto e Paulo Soledade), “Bandeira Branca” (Max Nunes e Laércio Freitas) e outras pérolas de Herivelto.

Serviço:
Show: Edith Veiga Canta a Estrela Dalva
Músicos: Edith Veiga (voz) e banda. Dias 13, 20 e 27 de março – terças-feiras – às 21 horas. Teatro Crowne Plaza – Rua: Frei Caneca, 1360 – Cerqueira Cesar - São Paulo - SP. Telefone: (11) 3289-0985. Ingressos: R$ 20,00.

Os sucessos de novela de Marina Lima

Sucesso! - 13/3/2007 - Por Thomaz Rafael

A Som Livre acaba de lançar mais um CD de sua coleção "Novelas". A bola da vez é a cantora Marina Lima, artista que vem contribuindo para as trilhas das tramas da Rede Globo desde o final dos anos 70, quando emplacou "A Chave do Mundo" em "Pai Herói".

Outros destaques do álbum são "Fullgás" (de "Cobras e Lagartos"), "Uma Noite e 1/2" ("Contos de Verão"), "À Francesa" ("Top Model"), "Preciso Dizer que te Amo" ("Bebê a Bordo"), "Nada por Mim" ("Ti ti ti"), "O Chamado" ("Quatro por Quatro"), "Pra Começar" (tema de abertura de "Roda de Fogo") e "Difícil" (um dos temas da nova novela das oito, "Paraíso Tropical").

Samba faz 90 anos com corpinho de 20

Por Mauro Ferreira

Claro que o samba não nasceu exatamente em 13 de março de 1917. Mas como esta é a data do registro oficial feito por Donga do suposto primeiro samba, Pelo Telefone, pode-se dizer que o samba completa 90 anos amanhã, 13 de março de 2007. E que chega aos 90 renovado, miscigenado e valorizado por jovens cantoras (Roberta Sá, Mariana Aydar, Maria Rita, Mariana Baltar e muitas outras) e músicos.

Sambista gosta de um papo sofredor tipo ‘samba agoniza, mas não morre’. Sim, foram muitas as lutas para o gênero se impor na sociedade. Mas, vencida a resistência inicial que podia até dar cadeia para o sambista, enquadrado como “malandro’, o samba nunca morreu e tampouco agonizou. Simplesmente porque sua vida plena independe dos espaços que lhe dedica a mídia (às vezes, mais generosos. Em outras, nem tanto..) e dos chamados formadores de opinião, eventualmente ruins da cabeça.

Samba brota no fundo dos quintais. Ou no sofá das salas. Pode exibir a “raiz” tão decantada pelos puristas que se posicionam contra qualquer miscigenação. Mas também já pode nascer misturado (com rap, funk, reggae, soul etc.), contemporâneo, pronto para o mundo – não fosse o samba elemento-chave na célula rítmica da Bossa Nova. Enfim, samba é arte popular e, como tal, chega forte aos 90 anos. Com corpinho de 20.

Palestras no RJ discutem a música hoje

Gafieiras - Por Redação

Começa nesta semana, mais precisamente no próximo dia 14 de março, o ciclo de palestras Música Chappa Quente. Organizado pelo site sobremusica (leia-se Bernardo Mortimer e Bruno Maia), os encontros semanais e gratuitos se estendem até o início de abril, no Rio de Janeiro, reunindo artistas, jornalistas e empresários de várias partes do Brasil com um único e vasto objetivo: discutir os novos caminhos da indústria da música no Brasil (e no mundo).

Veja abaixo a programação completa:

14.mar (PUC-RJ): “Cadeia produtiva da música no Estado do Rio de Janeiro” com a presença de Bruno Levinson (Humaitá Pra Peixe), Rodrigo Lariú (Midsummer Madness), Sérgio Sá Leitão (BNDES), Arthur Bezerra (SEBRAE-RJ) e o advogado Sydney Sanches (Cadeia Produtiva da Economia da Música).

14.mar (PUC-RJ): “Pós-jornalismo – Blogs e Internet 2.0” com a presença de Diego Assis (G1), Felipe Vaz (Overmundo), Celso Fonseca (Terra) e Berna Ceppas (produtor musical).

21.mar (UFRJ): “Rádios on-line e Podcasts: de ouvinte a programador” com a presença de Maestro Billy (ABPod), Giuliano Djadjah (Rádio Janela) e Paulo Daudt (Multishow).

21.mar (UFRJ): “YouTube, MySpace, Napster e iTunes: as novas plataformas on-line” com a presença de Alexandre Matias (Trabalho Sujo), Marcelo Ferla (jornalista), Gisela Castro (ESPM), André do Valle (FGV) e Silvio Meira (C.E.S.A.R.).
28.mar (ESPM): “Artistas S/A” com a presença de André Barcinski (jornalista), Mauro Benzaquem (empresário artístico) e Luciano Marsiglia (BIZZ).

28.mar (ESPM): “Novos consumidores e novas formas de marketing” com a presença de Lúcio Ribeiro (Popload), Jerome Vonk (ESPM), Léo Feijó (Casa da Matriz) e André Eppinghaus (Prole Inovações).

04.abr (UERJ): “Mercado independente: experiências e viabilizações” com a presença de Ricardo Cruz (Rolling Stone), Fabrício Nobre (ABRAFIN), Paulo André (Abril Pro Rock), Gabriel Marques (Moptop) e Gabriel Thomaz (Autoramas).

04.abr (UERJ): “O direito autoral da nova música” com a presença de Ronaldo Lemos (Creative Commons), Paulo Rosa (ABPD), Felippe Llerena (iMúsica/ABMI), Bruno Natal (URBe) e Antonio Carlos Miguel (O Globo).

Escola de áudio de Porto Alegre promove cursos em março

Por IGAP

O IGAP (Instituto Gaúcho de Áudio Profissional), a primeira escola de áudio do sul do Brasil promove neste mês de março cursos de audio. As matrículas estão abertas. Confira a programação:

Áudio Básico
Teoria sobre áudio, acústica básica, equipamentos (microfones, mesas, equalizador, compressor, gate, crossover amplificador, etc.) O curso contém 144 horas/aula e inicia no dia 13/03.

Sonorização (P.A. & Monitor)
Com novo professor (Diego - Vento Norte Sonorização), os alunos aprenderão técnicas avançadas de alinhamento e mixagem para P.A e Monitor. O curso contém 128 horas/aula e inicia no dia 13/03.

Técnicas de Gravação (Pro Tools)
Com o professor (Vinícius - estúdio Tchê Garotos), os alunos aprenderão técnicas de gravação, edição e mixagem com o software PRO TOOLS. O curso contém 128 horas/aula e inicia no dia 12/03.

Homestúdio
Configuração de hardware e software, MIDI, Gravação, Edição, e mixagem com o software CUBASE. Criação e produção de músicas com o REASON 3.0 O curso contém 48 horas/aula e inicia no dia 12/03.

Mais informações pelo fone: ( 51) 30283132 - (51) 99351654 ou pelo site www.igaprs.com.br

Shows de Lucina em SP e RJ

Por Assessoria de Imprensa

LUCINA, A MÚSICA EM MIM

Lançamento do DVD "A MÚSICA EM MIM" em São Paulo
Local: TOM JAZZ/SP
Dias 09 E 10 de Março às 21h30
Av. Angélica, 2331 Higienópolis
Reservas e ingressos: (11)3255-0084

Lançamento do DVD "A MÚSICA EM MIM" no Rio de Janeiro
Participações de Ney Matogrosso e Joyce</b>
Local: Teatro Rival BR/RJ
Dia 27 de Março às 19h30

*VISITE O SITE e assista a alguns momentos do DVD

Nova Brasil reestréia no RJ

Radio Agência - 1/3/2007 - Por Redação

Novidade no dial carioca: a partir do dia 1º de março, a Nova Brasil FM reestréia no Rio de Janeiro, em 89,3 MHz, sua antiga freqüência, que até então estava sendo ocupada pela evangélica Nossa Rádio.

A emissora colocará no ar a mesma linha de programação adotada em São Paulo (89,7 MHz), tocando exclusivamente nomes da Música Popular Brasileira. Além da Nova Brasil FM RJ e da Nova Brasil FM SP, a rádio conta ainda com emissoras no Recife (94,3 MHz), Brasília (97,7 MHz), Campinas (103,7 MHz) e Salvador (104,7 MHz).

João Rabello, filho de peixe em trabalho autoral

O Estado de S. Paulo - Por Adriana Del Ré


O violonista João Rabello, de 25 anos, vem de uma linhagem de músicos. De um lado, é filho de Paulinho da Viola e neto do chorão Cesar Faria, do lendário grupo Época de Ouro. Do outro, cresceu sob as influências dos Rabellos.

Além de se tornar um bom instrumentista, João é um rapaz perspicaz: não caiu na cilada de ficar na cola da carreira de um ou de outro. Decidiu que seria solista e que teria um trabalho autoral, 'consistente.' Seu primeiro CD-solo, Roendo as Unhas (VR6 Instrumental), contextualiza essa vontade de ser conhecido simplesmente como João Rabello, o violonista - e não como o filho de Paulinho, ou o neto de Cesar, ou o sobrinho de Raphael Rabello.

Na hora da escolha do repertório, fez um apanhando de peças, eruditas e populares, que resumissem todas as fases de seu trabalho e que, de certa forma, não fossem tão conhecidas. Sem querer, contou também um pouco da trajetória recente do violão - mesmo sendo um recorte restrito dessa história. Incluiu peças clássicas, como La Catedral (de Agustín Barrios, composta em 1921), e populares, como Inspiração (de Garoto) e as do pai.

Uma delas, Roendo as Unhas, composta por Paulinho em 1973, tem razão de dar título a esse álbum de estréia, diz João: 'Foi a primeira que aprendi a tocar. Tem uma base simples, de quatro acordes.' Já algumas peças de Radamés Gnattali lá estão por influência de Raphael, uma figura determinante na vida do João músico.

[ Travessia - ver cantos anteriores ]



Ir para Home



Pão e Poesia - Simone

"Um cantinho, um violão. Este amor, uma canção. Pra fazer feliz a quem se ama. Muita calma pra pensar. E ter tempo pra sonhar. Da janela, vê-se o Corcovado, o Redentor - que lindo! Quero a vida sempre assim, com você perto de mim, até o apagar da velha chama. E eu que era triste, descrente desse mundo... Ao encontrar você, eu conheci o que é felicidade, meu amor." (Corcovado - Tom Jobim)

Meu Perfil

BRASIL, Sudeste, Mulher

 


"Música na cabeça é carinho, alegria, inteligência, fantasia, prazer, doçura, energia, paixão e poesia"
Ben Jor




*Uma brasileira*

Paulistana da gema.
Ariana, 43 anos, jornalista. Música é o que mais me alimenta a alma. Esse espaço é destinado a quem prestigia a Música Popular Brasileira. O objetivo é difundir o que temos de melhor, fazer amigos, ampliar o repertório e estimular o conhecimento.
Entre e fique à vontade!



Meu Perfil no Orkut







bamba(s) online


Assine meu Livro


*Tantas Palavras* Contatos:

Pela Internet:
vlgb@uol.com.br

Pelo Telefone:
(11) 8985-7531




*Sintonia*
Cultura AM, SP
Eldorado FM, SP
MPB FM, RJ
Nova Brasil FM, SP
USP FM, SP







 Rádio Bossa Nova 
Jeannie Black, Seattle (USA)

 


 

 

Cantaram comigo: